19/05/2017

Nanotecidos e tecidos conectados são os mercados com maior crescimento

Autor/Fonte:
Stylo Urbano


As crescentes inovações têxteis e capacidades de fabricação deverão ser as forças motrizes fundamentais para os mercados de tecido inteligente e nanotecnologia. Os tecidos inteligentes são tecidos com tecnologia embutida que permitem que as roupas feitas a partir deles possam desempenhar funções que roupas normais não podem ou têm características especiais que a roupa normal não tem. Conheça os dois segmentos dentro dos tecidos inteligentes:

  • Nanotecidos são tecidos inteligentes fabricados com o uso de nanotecnologia. As nanopartículas são incorporadas nos tecidos para melhorar ou dar novas propriedades ao material. Por exemplo, integrando nanopartículas de prata em peças de vestuário, podemos torná-las resistentes ao odor. Outras aplicações da nanotecnologia podem tornar os tecidos resistentes e impermeáveis à manchas.
  • Tecidos conectados são tecidos inteligentes que incorporam a tecnologia digital. A tecnologia é geralmente empregada na moda esportiva e fitness, e muitas vezes toma a forma de sensores incorporados nos tecidos, juntamente com um núcleo que recolhe a informação dos sensores para transmiti-la a outro dispositivo, como um smartphone ou tablet, para visualização e análise. Este sistema permite que os usuários das roupas conectadas possam rastrear seu desempenho atlético através da recolha e análise de dados biométricos durante os treinos.

Ainda um mercado pequeno mas em rápido crescimento
Atualmente, a categoria dos tecidos inteligentes ainda é um segmento de nicho dentro do mercado global de vestuário e calçados. No entanto, está crescendo rapidamente e representa uma oportunidade para os fabricantes de vestuário e varejistas. A categoria dos tecidos inteligentes foi avaliada em US $ 700 milhões em 2014 e deve chegar a US $ 4,720 bilhões em 2020, crescendo a uma taxa de 33,58% entre 2015 e 2020, de acordo com a MarketsandMarkets. Isso está bem à frente do mercado mais amplo de vestuário e calçado, que  a título de comparação segundo a Euromonitor, ira crescer apenas 5% durante o mesmo período.

Já há uma série de exemplos de como o segmento de tecidos inteligentes podem gerar negócios lucrativos para os fabricantes de vestuário e varejistas. Em 2003, a gigante do fast fashion japonesa Uniqlo lançou duas linhas de “roupas climáticas” com qualidade premium como o AIRism, um tecido super leve e fresco que ajuda a esfriar o corpo e o HEATTECH, que é um gerador de calor e foram criados pela empresa química japonesa Toray, que abastece a Uniqlo com material de alta performance. Veja a matéria completa aqui.

Os tecidos inteligentes são versáteis e os fabricantes estão encontrando aplicações para eles em uma série de indústrias como medicina, moda casual e esportiva, equipamento de proteção individual, geo-proteção, militares e setores aeroespaciais, onde o sensoriamento e monitoramento serão mais eficientes se integrados nos tecidos. As perspectivas futuras da tecnologia de tecidos inteligentes são avaliadas de acordo com dois critérios:

  1. Sua capacidade para resolver problemas genuínos e adicionar conveniência real.
  2. A sua resistência contra possíveis tecnologias concorrentes.

Os dois principais segmentos de tecidos inteligentes têm diferentes perspectivas. Os nanotecidos e os tecidos conectados atendem a esses dois critérios mas seus custos são um obstáculo comum para a adoção generalizada de ambas tecnologias. Nanotecnologia é um termo que se refere à ciência, engenharia ou tecnologia que é realizado à escala nanométrica.

Nanotecidos ganham novas propriedades sem comprometer o tecido original
A nanotecnologia é incorporada nos tecidos comuns para criar nanotecidos, que apresentam características especiais, mas mantêm as propriedades originais do tecido. Ao empregar a nanotecnologia na produção têxtila, os fabricantes são capazes de tornar seus produtos mais inovadores. Por exemplo, tecidos embebidos com nanopartículas de prata têm propriedades antibacterianas.

Os fabricantes empregam diferentes tipos de nanotecnologia para tornar os tecidos impermeáveis, repelentes a manchas e líquidos, resistentes ao odor e as bactérias. Mas os tecidos também podem ter proteção contra rasgos, raios UV, fogo além de se auto-reparar e ser super resistentes. Integrar nanopartículas aos tecido permite que tenham as propriedades descritas acima, sem alterações significativas em seu peso, textura ou espessura. Exemplos de aplicações de nanotecnologia na fabricação de tecido incluem:

  • Nanowhiskers: estes filamentos permitem que o tecido se torne à prova de mancha e impermeável, impedindo a absorção de líquidos e óleos.
  • Nanopartículas de prata: estas partículas matam as bactérias responsáveis pelos odores.
  • Nanoporos: estes são pequenos orifícios que permitem a transpiração sem deixar que os agentes externos passem através dos tecidos.

Tecidos conectados: o futuro da tecnologia vestível
Os tecidos conectados são aqueles incorporados com tecnologia usável. Roupas feitas com tecidos conectados tem a capacidade de se conectar a outros dispositivos, tais como smartphones e tablets. A tecnologia é geralmente aplicado à moda fitness e esportiva para que os usuários possam acompanhar o seu desempenho atlético e sua saúde. Atualmente, dispositivos wearables como cintas, pulseiras e relógios possuem tecnologia de rastreamento de fitness incorporados.

No entanto, a indústria esportiva e de eletrônicos acredita que o futuro dos wearables é a substituição dos dispositivos conectados pelas roupas inteligentes com funções de rastreamento incorporados no tecido. Roupas feitas com tecidos conectados não exigem que o usuário utilize um dispositivo dedicado, a fim de coletar e analisar dados de fitness e, por isso, são mais convenientes para o usuário. Além do fato que todo mundo gosta de roupas, o mesmo não acontece com dispositivos werables.

Os tecidos conectados têm o potencial para tornar os acessórios inteligentes obsoletos. Este é um tema recorrente na indústria de eletrônicos de consumo. Por exemplo, os consumidores utilizaram durante anos os leitores de MP3 em conjunto com telefones celulares, mas como a tecnologia dos smartphones evoluíram para incorporar recursos de arquivos de jogo ainda mais o armazenamento de música, os leitores de MP3 se tornaram obsoletos. A mesma tendência acontece coma a roupa conectada que pode incorporar as mesmas funções desempenhadas por acessórios inteligentes, como rastreadores de fitness.

Versatilidade dos tecidos inteligentes
Os tecidos inteligentes estão sendo usados ​​em muitas indústrias, além de vestuário e sportswear. O setor de transporte é o maior utilizador de tecidos inteligentes, seguido pelos militares e o governo. Aplicações em moda esportiva e fitness são responsáveis ​​por 17% do mercado de tecidos inteligentes, e os tecidos também estão sendo usados ​​na área da saúde.

  • Transporte: Dentro da indústria de transporte, os tecidos inteligentes estão sendo usados principalmente na fabricação de interiores de veículos, tais como cintos de segurança inteligentes e assentos. Um projeto da União Europeia chamado Harken está desenvolvendo um cinto de segurança e assento de carro que podem medir os sinais vitais do motorista, a fim de detectar sonolência e alertar o condutor se esses sinais surgirem.
  • Militar: O Departamento de Defesa dos EUA anunciou um plano para investir US $ 75 milhões para pesquisa em tecnologia vestível realizada pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts. A tecnologia pode ser usada para fazer uniformes sensível à luz, a fim de permitir a detecção de lasers, ou para criar tecidos térmicos para identificar lesões, mesmo quando os soldados não sintam nada.
  • Vestuário fitness e sportswear: vestuário esportivo e fitness feitos com tecidos inteligentes embutidos com sensores podem medir o desempenho dos atletas e até mesmo ajudar a prevenir lesões por meio de análise de dados. Roupas inteligentes podem se conectar a um equipamento desportivo inteligente como parte da Internet das Coisas ou a Internet das Roupas.
  • Moda: Na moda, os tecidos inteligentes são usados para melhorar o desempenho ou a funcionalidade de uma peça de roupa ou para melhorar ou mudar sua aparência. Exemplos incluem roupas que podem carregar a bateria do aparelho do utilizador, roupas que incorporam nanotecnologia que as tornam resistentes a manchas e roupas que podem mudar de cor de acordo com fatores externos ou estéticos do usuário.
  • Saúde: Os tecidos inteligentes podem ser usados na área da saúde para ajudar a prevenir lesões relacionadas ao estresse muscular ou má postura. Nos hospitais, os tecidos inteligentes podem ser usados em colchões, lençóis e fronhas para permitir a gravação e análise da saúde dos pacientes, e roupas hospitalares que podem monitorar a frequência cardíaca, pressão arterial e pulso do paciente.

Aplicações da tecnologia no vestuário
Os tecidos inteligentes possuem muitas aplicações no vestuário. O segmento de vestuário inteligente está ainda numa fase inicial de adoção com as roupas feitas com tecidos conectados e nanotecidos, mas já há uma série de tecidos inteligentes disponíveis, e que possuem um grande potencial dentro da indústria. Abaixo, estão relacionados uma série de tecidos inteligentes e tecidos conectados.

Parceiros